Inferências sobre a preferência alimentar e a influência
vitamínica na dieta de morcegos nectarívoros.

Nome: Paulo Rogerio Torezani
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 11/04/2018
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Albert David Ditchfield Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Albert David Ditchfield Orientador

Resumo: A relação entre plantas e morcegos polinizadores é bem conhecida dentre a literatura.
Os morcegos polinizadores da região Neotropical pertencem a família Phyllostomidae
que inclui morcegos frugívoros (e.g., Subfamília Stenodermatinae) e nectarívoros (e.g.,
Subfamília Glossophaginae). No Brasil, 74 espécies destes morcegos estão presentes.
A diversidade na composição química de flores e frutos relacionada aos grupos de
nectarívoros e frugívoros é ilustrada pela variação das diferentes quantidades de
açúcares encontradas em suas polpas e néctares. Esta relação entre a preferência
dos polinizadores/dispersores e a variação da composição/concentração de açúcares
tem inspirado vários trabalhos relacionados ao tema. A maioria destes estudos se
baseou na hipótese de que os morcegos do Novo Mundo preferem os açúcares de
néctar e frutos que normalmente ingerem no ambiente natural. Grande parte dos
estudos sugeriu que são necessários novos estudos buscando encontrar possíveis
fatores nutritivos associados ao néctar, além da composição/concentração de
açúcares. Partindo deste pressuposto, objetivou-se com este trabalho avaliar a
preferência alimentar de morcegos nectarívoros por soluções açucaradas com
diferentes composições/concentrações e adição de vitaminas. Para isso, foi testado o
tipo de açúcar preferido por morcegos nectarívoros; a concentração de açúcar
preferida por morcegos nectarívoros e a adição de vitaminas para saber se esta
influencia ou altera a preferência alimentar de morcegos nectarívoros. A metodologia
utilizada envolveu testes de preferência alimentar, utilizando bebedouros artificiais,
que foram subdivididos em três etapas: composição de açúcares (sacarose, frutose e
glicose), concentração de açúcares (baixa, média e alta) e adição de vitaminas
(vitamina C e vitamina B12). As diferenças na preferência alimentar sobre os tipos de
soluções foram inferidas a partir da contagem de visitações dos morcegos em cada
bebedouro bem como a análise da quantidade de solução ingerida. Este estudo foi

realizado no Parque Florestal do Instituto Nacional da Mata Atlântica (Santa Teresa-
ES). Os resultados deste estudo concluem que morcegos nectarívoros desenvolvem

8
um comportamento preferencial pelo açúcar sacarose, em detrimento de
monossacarídeos como frutose e glicose (hexoses), o que refuta a hipótese de que
estes mesmo preferem o açúcar encontrado normalmente no néctar floral. Em relação
a concentração, pôde-se constatar que, como esperado e apontado por outros
trabalhos, a concentração ótima preferida é aquela encontrada no néctar floral (20%),
contudo, alternativamente, concentrações maiores e menores podem ser ingeridas.
Sobre a preferência baseada na presença/ausência de vitaminas, constatou-se que os
quirópteros preferem soluções de néctares que contenham estes tipos de
micronutrientes, sugerindo, inclusive que são capazes de identifica-los durante o
forrageio.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910